domingo, 31 de janeiro de 2021

Entrevista com Marcos Pinnto - Autor de: TANTALUS ABDU

Nome literário de Marcos Rodrigues Pinto.
Poesia
Salpicos de Mim: poesia tentada. 2017
Por Quanto Tempo Mais: mais uma tentativa de fazer poemas. E-book.
Contos
Doze Contos Macrabros. 2020
Técnicos
Redes de Distribuição de Água. 2017.
Otimização Evolutiva: aplicada à remediação de águas subterrâneas. 2019
Estatística Básica: para quem não é especialista. 2019.
Romances
Tantalus Abdu. 2020
Histórias de Uma Sertaneja: sob o sol impiedoso do semiárido. (sob pseudônimo) 2019
Entre outros romances e crônicas, sob pseudônimo diverso.

Miguel, um homem em busca de catarse, decide se engajar em ações humanitárias na África. O seu plano é ir para a Gâmbia ajudar pequenos agricultores. Durante a viagem, encontra Rebeka, uma moça guineense, ingênua, mas dedicada a ajudar o governo de seu país. Eles se apaixonam e Rebeka acredita que Miguel abandonará a sua missão para viver com ela em Bissau. No entanto, Miguel se dá conta de que, até ali, ele não tinha nada a perder indo para a Gâmbia e a paixão por Rebeka seria justamente o sacrifício de que precisava para a validade de sua penitência. Cedo descobrirão que a distância não será o único obstáculo entre eles. Os eventos que se sucederão poderão colocá-los fatalmente em lados opostos. Rebeka e Miguel terão de se confrontar com Tantalus Abdu, um guerrilheiro que pretende derrubar o violento ditador do pequeno país no continente africano. Tantalus conta com a ajuda de outros guerrilheiros que se intitulam Combatentes pela Libertação Nacional. Mas, o ditador Muhamed Ebraim é um homem sem escrúpulos e o preço cobrado de todos pode ser alto demais.

Olá Marcos. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro?
Tantalus Abdu é sobre amor, amizade, lealdade, resiliência. A maior parte da história se passa na Guiné-Bissau, numa situação de conflito entre governo e rebeldes. Enquanto a guerra acontece, o romance entre Miguel e Rebeka tenta se afirmar.

Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A ideia de escrever Tantalus Abdu surgiu em 2014, numa conversa com minhas amigas e amigos guineenses. Eles inspiraram também o perfil de alguns dos personagens, que no início eram apenas cinco e passaram a vinte e cinco, entre os que chamei de principais e coadjuvantes. Os rascunhos com as ideias dos capítulos foram escritos também em 2014, mas eram apenas oito capítulos. O livro terminou com um pouco mais que isso. Ao longo do livro, alguns capítulos reclamaram sua necessidade de inclusão, bem como outros personagens acabaram por aparecer exigindo sua entrada.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
É o primeiro romance que uso meu próprio nome. Já escrevi outros usando pseudônimos. Também escrevi três livros técnicos. Meu primeiro trabalho remunerado por escrever foi na elaboração de apostilas para um curso de microinformática, quando eu tinha dezenove anos. Também gosto de escrever contos, poemas e crônicas. Tenho outras histórias em mente e, quando tiver oportunidade, elas serão publicadas.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
O Brasil tem taxas de analfabetismo absoluto e funcional altíssimas. Além disso, muitas pessoas alegam que não têm interesse ou tempo para ler. O que isso significa? Que temos um enorme número de leitores a serem formados e conquistados. Isso não é fácil, claro, mas não podemos simplesmente desistir das pessoas, pois entendemos que a leitura é uma forma ativa de se obter conhecimento e cultura, além de exercitar a mente. Não podemos nos conformar com a elitização da leitura.
Há pesquisas mostrando o encolhimento da produção de livros no Brasil. No entanto, a média de livros lidos por ano e a quantidade de leitores caminharam em sentido oposto. Então, o que aconteceu para que o mercado editorial brasileiro encolhesse? A resposta pode passar por muitas variáveis como mudanças no perfil do leitor, surgimento de diversas plataformas on-line, livros em diversos formatos, entre outras.
No entanto, não vejo esse cenário como um empecilho à escrita. O maior impedimento que um escritor pode enfrentar é a falta de criatividade.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Passei bastante tempo procurando uma editora para o primeiro romance publicado, em que usei um pseudônimo, e vi que há muitas opções, com diferentes perfis. Depois de várias comparações e verificações, a Scortecci Editora foi a melhor escolha para o meu projeto.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Tantalus Abdu merece ser lido principalmente pela quebra de um paradigma, que o leitor perceberá ao final da história. Também pela profundidade e sinceridade com que os personagens são apresentados. Usando as palavras de uma amiga, a leitura de Tantalus Abdu é como estar em um barco, com momentos de calmaria e momentos de tormenta.
À leitora e ao leitor, eu desejo que lhe seja acrescentado algo, seja uma emoção, uma informação, uma reflexão, mas que a leitura cumpra o seu papel de entrega.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário