segunda-feira, 16 de maio de 2022

Entrevista com Afonso Celso Brandão de Sá - Autor de: DUCK, O PATINHO AZUL

Nascido em uma tarde de outubro na cidade de Morros/MA, Brasil, Afonso Celso Brandão de Sá, décimo primeiro filho de uma prole de quinze, mudou-se para Belém-PA onde se formou em Engenharia Mecânica tendo exercido essa profissão por vinte e dois anos. É compositor e se dedica também à literatura. Com diversos romances publicados, iniciou-se no campo da literatura infantil com o seu primeiro livro no estilo intitulado “Amelinha e a bruxa malvada” apresentando a seguir o livro “AS CORES DO ARCO-ÍRIS, volume II da coleção ERA UMA VEZ ...
Apresenta agora, sempre com as ilustrações de Marcus Sá, o terceiro volume dessa coleção cujo título é DUCK, o patinho azul.
MARCUS SÁ, filho do autor, ilustra de forma maravilhosa essa historinha lúdica e que desperta a atenção das crianças para o nosso Brasil, suas regiões geográficas, florestas, rios, animais, pássaros e o mar sempre destacando os valores morais e dos bons costumes.
Uma ótima oportunidade para os pais oferecerem aos seus filhos os primeiros ensinamentos sobre o nosso país.

Duck é um patinho muito simpático e elegante. Ele se veste com um terninho vermelho, uma gravatinha azul, para combinar com as suas penas e calça um sapatinho prateado. Ela usa também um chapeuzinho marrom, muito engraçado e um guarda-chuvas colorido que não larga de jeito nenhum. Aonde ele vai, leva o guarda-chuvas. Duck gosta de viajar pelo Brasil e, nesta historinha, ele fala da região norte, seus estados, rios, cachoeiras e do mar. Ah, o mar! Ele é apaixonado pelo mar. O patinho azul tem também uma outra paixão que é cantar, mas, infelizmente, sua voz é muito desafinada, por isso, ele fez amizade com o galo Aguinaldo, que é um cantor famoso e dono de uma voz muito bonita. Duck quer que Aguinaldo lhe ensine a cantar. Será que o patinho azul vai aprender a cantar?

Entrevista

Olá Afonso Celso. É um prazer contar, novamente, a sua participação na Revista do Livro da Scortecci

Do que trata o seu Livro?
Trata-se de um personagem muito engraçado que usa um terninho, um guarda-chuva e um chapeuzinho e que viaja pelo Brasil para mostrar às crianças as maravilhas do nosso país. Tem foco principalmente na natureza, mostrando os animais e os relevos de nossa terra.
Esse primeiro volume ele fala sobre a região norte.

Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A ideia de escrevê-lo fundamenta-se no desejo de mostrar o nosso país para as crianças, sempre com o foco na natureza e o público almejado são as crianças até cinco anos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou escritor e tenho as seguintes obras publicadas:
1 - ROMANCES - "A OUTRA CHANCE", "O LIMPADOR DE QUINTAIS" e a trilogia KANSHIR com os volumes I - O DUELO DOS GUERREIROS DOURADOS, II - OS DOZE DESTINOS e III - A MONTANHA DOS REIS.
2 - LIVROS INFANTIS - "AMELINHA E A BRUXA MALVADA", "AS CORES DO ARCO-ÍRIS", "EU SOU MAIS IMPORTANTE - AS VOGAIS" e "DUCK, O PATINHO AZUL". Já está em fase de impressão mais um livro infantil que vai se chamar "TAIGUAN, O INDIOZINHO"
3 - CONTOS - EU CONTO UM CONTO, VOL. I
Atualmente estou trabalhando no segundo livro de contos e em mais um romance que vai se chamar "RUA DAS MANGUEIRAS, Nº 5" que é um romance muito forte que pretende mostrar uma das fases mais difíceis da nossa vida enquanto país que foi a escravidão. O objetivo é pura e simplesmente é não deixar que esses erros sejam esquecidos para que não sejam repetidos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Lamentavelmente o brasileiro não dá valor à leitura. Sei que não é o mais correto se generalizar dessa forma, mas, isso é um fato. Precisamos de políticas públicas que incentivem as crianças - e os adultos - a lerem. Sim, os adultos também, porque se os pais gostarem de ler, certamente vão incentivar os seus filhos a lerem também.
Eu sou daqueles que acham que a educação vai salvar o mundo, e ela começa com a leitura mesmo na mais tenra das idades.
O papel dos pais é fundamental porque, se desde bem cedo, eles lerem para os seus filhos ou, simplesmente, mostrarem as figuras de um livro infantil, isso despertará o interesse das crianças.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Já faz algum tempo. Sou parceiro da SCORTECCI já há alguns anos e creio que deve ter sido de algum anúncio na internet

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim, acho que os meus livros devem ser lidos e aqui eu estou respondendo no plural porque tenho o máximo cuidado com a linguagem quando se trata de literatura infantil. Procuro sempre valorizar a família e os valores culturais que nos transformam em cidadãos e cidadãs.
As mensagens que deixo nos meus livros infantis são sempre positivas e objetivam despertar o interesse das crianças pela natureza, pela família e pelo nosso país.
Valorizo a família, sempre, em primeiro lugar.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►