terça-feira, 29 de agosto de 2017

Entrevista com Gerson de Oliveira - Autor de: AS DUAS FACES DE MURIEL

Professor, poeta e  escritor.
Graduado em Letras (Faculdade  Filosofia Ciências   e  Letras de Itapetininga), Pedagogia  (UCESP). Pós-graduado em Psicopedagogia Institucional e Clínica (Facespi) e em Gestão  do Currículo Escolar (USP).                
Filho de  Sebastião Paulino  de Oliveira e de Izadai Aires da  Mota, o mais velho  de  quatro  irmãos, nasceu  na  cidade de Capão Bonito em  12 de setembro de 1972.
Radicou-se mais tarde em  São Miguel Arcanjo onde  tem construído sua carreira  tendo sido aprovado cinco  vezes nos concursos públicos de 1999, 2004, 2008 e  2012 pelos quais é professor de Português e Inglês.
Paralelamente ao magistério  tem  uma  atividade  literária  na qual,  além  de  escrever, produz  seus  livros através de  sua  própria  editora,  a qual já lançou outros livros no mercado, e participou da  Bienal Internacional do livro.
Gerson de Oliveira é casado  com Elaine Aparecida dos Santos. Tem dois filhos: Nicolas Mota S. de  Oliveira e Jéssica Andressa da  Silva Oliveira, psicóloga   


O autor criou um blog a fim de que os leitores do livro registrem suas impressões acerca do livro. https://asduasfacesdemuriel.blogspot.com.br/2017/07/lancamento-as-duas-faces-de-muriel.html

É a história de uma jovem que se distancia da família, perde o noivo, perde todos os amigos e perde o emprego. Em meio a tudo isso, ela se percebe fazendo coisas das quais não parece ter consciência. Haveria alguma relação entre ‘essas coisas’ e seus problemas? Seria a bipolaridade a causa dos problemas? Mais normal do que parece, a bipolaridade não é exclusividade da protagonista. Vivemos em uma sociedade de multipolares, onde as pessoas parecem usar uma máscara para cada ocasião: a máscara social. É por isso que as pessoas não se entendem? Muriel se vê diante de si com esta grande pergunta. A procura pela resposta nem é uma busca que, necessariamente, vai nos agradar, mas é preciso que se faça para compreensão dos problemas que nos acompanham na vida adulta. As duas faces de Muriel é uma intrigante história que, além de outras coisas, nos mostra a vida sob a ótica de uma pessoa que sofre com a bipolaridade. A história nos faz pensar sobre os comportamentos que adotamos em atendimento às expectativas em nós projetadas, o que faz de nós todos, de certa forma, bipolares. Já parou para pensar o quanto da pessoa à sua volta é ela mesma, e o quanto de você é o que você é?

Olá Gerson. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro trata, como tema central, da bipolaridade, não tratada aqui em sua forma patológica, mas em uma ficção vivida por uma personagem que sofre da bipolaridade, sente as consequências de seu problema na vida pessoal, profissional, nas relações interpessoais.
A ideia de escrevê-lo surgiu, de minha parte, pela observação que eu passei a ter acerca das dificuldades que as pessoas têm em se relacionarem a ponto de terem problemas na vida afetiva, profissional, e com elas mesmas. Comecei a perceber ainda uma variação de tolerância e repostas dadas aos mesmos problemas em um curto espaço de tempo. E esta variação de respostas, percebi uma relação entre o estado de humor, e mais notadamente ainda, uma variação de gosto pessoal das pessoas a respeito da forma de se vestir, tonalidade de voz e forma de andar. Comecei a levantar suspeitas acerca do que seria. Surgiu a palavra bipolaridade. Dela, eu criei um outro conceito: a bipolaridade social e a multipolaridade, que eu sugiro aqui serem frutos da necessidade social de as pessoas mudarem seus comportamentos em nome da sobrevivência e relacionamento com as pessoas. São as máscaras que as pessoas colocam, e que são uteis por atrair pessoas, como são responsáveis por afastá-las.
O livro pode ser lido por todos os públicos, no entanto é muito mais significativo para o público juvenil e adulto.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Meu projeto é ser um autor para o grande público, e também ser um editor representante os autores de minha região. Este já é meu terceiro livro como autor, e o quarto como editor.
Ao todo, como autor e como editor lancei 5, dos quais 3 pela Scortecci, com quem pretendo intensificar minha relação com mais contratos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
É complicada a vida de um escritor no Brasil já devido ao fato da ideia que as pessoas têm de valorizar o estrangeiro, e consequentemente a cultura estrangeira. Neste cenário, livros estrangeiros, aqui traduzidos, são muito mais aceitos. A grande causa deste problema, como bem sabemos, é educacional. Este problema tem muito mais raiz nas famílias que nas escolas. Somo um pais em que os pais não leem, e portanto, somos um país em que as crianças podem não estar lendo por este motivo. Associado a tudo isto, outra causa, é a cultura de comunicação visual rápida substituindo a cultura escrita. É um conjunto de fatores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Foi pela internet em minha busca por uma editora para publicar meu primeiro livro publicado em 2004.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Claro, merece e deve ser lido. A temática é de grande importância. E além do tema sugerido, há outros que são tratados durante a ficção que são igualmente intrigantes.
A mensagem que deixo é em forma de pergunta. Quem é você quando não está interpretando um papel?

Obrigado pela sua participação.

Um comentário:

  1. foi meu professor , uma pena eu não ter dado atenção devida em suas aulas , sempre buscou das melhores formas nós ensinar ! grande profissional ! parabéns Gerson !

    ResponderExcluir