segunda-feira, 18 de abril de 2022

Entrevista com Eliane Quintella - Autora de: #ACREDITE: EM UM MUNDO DIVIDIDO ELES OUSARAM QUEBRAR AS REGRAS

Nome literário de Eliane Proscurcin Quintella
Acredita no poder das boas histórias, seja um suspense viciante ou um romance açucarado. Sabe que os contos de fadas são ainda mais mágicos e foi, por isso, que escreveu #Acredite. É escritora apaixonada, leitora convicta e sabe que a arte é essencial ao ser humano e meio extraordinário de suportar a realidade. Mãe ursa de Ale e Zizi. Encontrou apoio incondicional para suas loucuras no seu parceiro e amor da sua vida, Luiz. Come doces (no plural) diariamente e acha mesmo, como diz nesse livro, que o amor é a maior força que existe. Vive em São Paulo feliz da vida e apaixonada por sua família e seus três cachorros, Tina, Luke e Rocky.

Existe um mundo mágico, mas seu povo é dividido de acordo com seus poderes. Braites são mágicos poderosos e dominam a energia da transformação. Lalulis conseguem fazer apenas as magias simples. Os Braites mantêm sua magia forte, pois cultivam a leveza, a harmonia e a alegria, já os Lalulis não são capazes de aumentar seu poder de magia, pois eram pessimistas por natureza e preferiam se deixar dominar por sentimentos pesados a serem fúteis como os Braites.
Nesse mundo dividido, Pamela, uma jovem Braite, se apaixona por Raul, um Laluli. Porém, os dois acreditam que o amor é uma força poderosa e estão dispostos a desafiar a ordem das coisas ficando juntos.
O casal é submetido a duras provações que desafiam a força do amor e a crença que separa aquele mundo.

Entrevista

Olá Eliane. É um prazer contar a sua participação na Revista do Livro da Scortecci

Do que trata o seu Livro?
Meu livro trata sobre a força do amor e a força de tudo aquilo que você acredita de verdade. No meu livro eu mostro que aquilo que acreditamos pode ser as grades da nossa prisão ou a força necessária para transformar a realidade a nosso favor. Para mostrar isso, eu escolhi um mundo mágico ocupado por dois povos: Lalulis e Braites. Os Lalulis acreditam que não tem a mesma magia dos Braites, porém são mais resilientes que eles. Já os Braites dominam o elemento ar e a magia da transformação, mas são mais frágeis energicamente que os Lalulis. O amor entre esses povos é proibido, pois o pessimismo dos Lalulis pode afetar a magia encantada dos Braites, ainda assim a Jovem Pam se apaixona por Raul. E juntos eles pretendem desafiar as regras que separam seus povos por puro amor e acabam conquistando muito mais.

Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O público é infanto-juvenil. A ideia de escrever surgiu da sociedade atual em que vemos, independentemente da classe social, pessoas que estão sempre preocupadas em estarem bem e leves e se afastam de qualquer coisa que seja mais profunda, árida e dura, parecendo superficiais, e as pessoas que estão sempre buscando problemas na sua vida e tornam o ambiente à sua volta às vezes pessimista demais. Eu quis mostrar que nenhum desses extremos é saudável e que a combinação da resiliência com a esperança e o olhar aberto e sem julgamentos pode ser a melhor maneira que alguém tem de encarar a vida. Eu quis escrever esse livro para os meus filhos e para todos os jovens. Quis que meu livro fosse um sopro de esperança um abraço terno e apertado a todos os pré-adolescentes e adolescentes que lessem #Acredite.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Acho que as duas coisas. O livro tanto é um sonho realizado, como o primeiro de muitos. Eu queria ter um livro que meus filhos pudessem ler, pois todos os meus outros livros tem o público adulto como foco. Por isso é um sonho que se realiza. Mas também é o primeiro de muitos, pois eu sempre escrevi e pretendo sempre escrever.
O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é nada fácil em termos de grana e carreira. Mas eu acredito que se você impactar ao menos uma pessoa com seu livro, que seu livro faça a diferença na vida de uma única pessoa, já terá valido a pena ter sido escrito.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por uma amiga.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu creio que é a sua mensagem. O livro tem uma linda mensagem de fé e amor que, se compreendida e abraçada no coração pelos mais jovens, fará toda a diferença. Eu acho que podemos impactar o mundo com a nossa arte. E o livro tem esse propósito de impactar os jovens a refletirem sobre a vida e sobre a fé com que a vivem. O livro provoca quem o ler a viver plenamente, com coragem, autenticidade e amor.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário