quarta-feira, 6 de abril de 2022

Entrevista com Consuelo Pagani - Autora de: A VIAGEM DA GOTINHA

Natural de Corinto/MG; reside em Vitória/ES. Poetisa, escritora e arteterapeuta. Pós-graduação: UFES. Ganhou título de Mini Escritora 70, aos 10 anos de idade; 1º lugar no Concurso “Poesia Sem Fronteiras/2021”; semifinalista no Concurso Liter. Internac. Pena de Ouro; 8º lugar no Prêmio Luiz Gonzaga/2021. Autora do livro infantojuvenil A Viagem da Gotinha, premiado pela Secr. de Cult. de Vitória/ES, cuja 2ª edição está sendo lançada pela Editora Scortecci.
Participa de mais de 20 Antologias entre 2020/21. Recebeu Comenda Ruth Cardoso/2013, pelo Projeto Pequeno Cidadão, realizado com crianças carentes, onde trabalhou cidadania, consciência ambiental, inclusão social e autoestima através da Arteterapia. Seu primeiro livro solo de poesias – “Voando em Busca da Aurora” - está em fase de editoração. Membro da ACL – Academia Cruzeirense de Letras; AILAP- Academia Internac. de Literatura e Artes “Poetas Além do Tempo” e da AIML - Acad. Internac. Mulheres das Letras.

Cecília é uma linda Gotinha, que nasceu com o orvalho da manhã, numa maravilhosa e encantadora Floresta! Ao nascer, era feliz, mas foi tornando-se triste por se comparar aos demais e por se julgar pequena e insignificante, embora tudo ao seu redor fosse tão belo. Aquecida pelo sol, transforma-se em vapor e começa a viajar pelo espaço, descobrindo toda a sua trajetória de Gotinha D’água e também a sua grande missão de vida! Cecília descobre, também, como a força e o poder da união são capazes de nos ajudar a realizar grandes feitos! E o mais incrível é que ela encontra a Felicidade ao entender que, mesmo sendo bastante pequeninos, não somos insignificantes: todos temos nossa missão na Vida e no Universo! Somos únicos e importantes, independentemente da forma como nascemos!
Venha se encantar com a viagem de Cecília e suas descobertas; com as lindas ilustrações deste livro e com o mágico mundo que se encontra dentro de você!

Entrevista

Olá Consuelo. É um prazer contar a sua participação na Revista do Livro da Scortecci

Do que trata o seu Livro?
"A VIAGEM DA GOTINHA” é um livro infanto-juvenil, porém, com mensagens bastante significativas, tocando crianças e adultos.
Com preciosas ilustrações em aquarela e linguagem lúdica que faz instigar o imaginário, agrada tanto crianças em tenra idade quanto as mais crescidas, como também aos adultos que vêm a conhecer o livro, por possuir conteúdo rico e profundo para a vida. Destaco que as ilustrações foram feitas por minha filha, Potira Manhães.

Segue parte da sinopse:
Aquecida pelo sol, a Gotinha Cecília transforma-se em vapor e começa a viajar pelo espaço, descobrindo toda a sua trajetória de Gotinha D’água bem como a sua grande missão de vida! Cecília descobre, também, como a força e o poder da união são capazes de nos ajudar a realizar grandes feitos! E o mais incrível é que ela encontra a Felicidade ao entender que, mesmo sendo bastante pequeninos, não somos insignificantes: todos temos nossa missão na Vida e no Universo! Somos únicos e importantes, independentemente da forma como nascemos!”
No decorrer do livro, o leitor vai se encantando com a viagem de Cecília e suas descobertas; com as lindas ilustrações em vivas cores de aquarela e vai despertando para o mágico mundo que se encontra dentro de si e que existe em cada um de nós!

Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Essa história surgiu em meio a um Congresso que participei em Belo Horizonte, há vários anos: “Encontro de Linhas Psicoterapêuticas”. No início da palestra de “Psicodrama”, foram convidados 10 voluntários, dentre os congressistas, para subirem ao palco para que os palestrantes demonstrassem o que vem a ser “Psicodrama”. Eu me voluntariei. Foram entregues 05 palavras aleatórias a cada um dos voluntários, que deveriam criar, num espaço de 10 minutos, uma pequena história com aquele grupo de palavras. Assim, eu criei a minha historinha, naqueles dez minutos que me haviam sido ofertados, buscando emanar algo de positivo na mensagem, como sempre procuro fazer em minhas criações (“ancoragem positiva”, como diz a neurolinguística).
Transcorridos os dez minutos, toda a plateia deveria escolher a melhor história, dentre as dez ali criadas pelos voluntários.
A minha história foi eleita à unanimidade por toda a plateia e, em seguida, encenada no palco pelos dez voluntários. Assim se deu a demonstração do que vem a ser a linha psicoterápica intitulada PSICODRAMA. Depois disso, durante todo o tempo do Congresso, por onde eu passava não se falava em outra coisa a não ser “a história da Gotinha”.
Isso me deixou completamente feliz e, ao mesmo tempo, despertou a semente de escritora que sempre existiu em mim, fruto da minha herança paterna, pois meu pai era professor de letras, poeta e contava para os filhos belíssimas histórias em nossa infância, além do que minha mãe também já escreveu um interessante livro autobiográfico.
Desta forma, fui investida de autoestima e coragem diante do sucesso daquele dia, pois senti que aquela história criada assim, de forma tão inusitada em meio àquele Congresso, havia atingido o inconsciente coletivo e o emocional das pessoas de forma tão positiva e intensa.
Assim sendo, após algum tempo, resolvi dar forma a essa criação, transformando-a num livro.
Quanto ao público a que se destina o livro, ele agrada tanto aos Pequeninos, pelas ricas, belas e coloridas ilustrações em aquarela, quanto às crianças maiores, por instigar o imaginário infantil com as metáforas; e ainda, por ser um livro rico em mensagens profundas, ditas de forma sutil, agrada também aos adultos, pois é um livro reflexivo, útil para a vida. Pode ser trabalhado em oficinas de crescimento pessoal, arteterapia, e inclusive, em consultórios de psicologia.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
A Viagem da Gotinha” está em sua 2ª edição. A 1ª edição se deu em 2005, algum tempo após a história ter sido criada inusitadamente, durante o congresso o qual citei anteriormente. Essa 1ª edição foi publicada com o apoio da Secretaria de Cultura de Vitória/ES – Lei Rubem Braga, que é uma lei de incentivo cultural na capital do Espírito Santo, onde resido.
O meu sonho, desde então, era poder publicá-lo em 2ª edição por meio de uma grande editora, como a Scortecci, com vendas online, para que a história pudesse alcançar um número sempre crescente de leitores, tanto crianças quanto adultos.
Este sonho foi realizado! “A Viagem da Gotinha” está em sua 2ª edição, pela Editora Scortecci, e alçando voos, até mesmo para a Inglaterra, Argentina, foi adotada em uma escola de Sergipe e tem sido vendida para as crianças de vários estados do Brasil (e também para adultos, repise-se!)
Meus próximos sonhos são: além de publicar meu livro solo de poesias, já em andamento, pretendo publicar os outros livros infanto-juvenis já escritos, a saber: “A Borboleta Negra”, “Alice e a Morada do Sol”, “O Anãozinho e a Sereia”, “A Aranha da Cidade e Aranha da Floresta”, e outros que estão no rascunho.
Destaco que os três primeiros acima citados já foram escritos, faltando apenas a publicação, o que pretendo fazer – com a graça de Deus – paulatinamente.
A Borboleta Negra” é fruto de uma poesia que fiz aos nove anos de idade (também sou poetisa, desde criança, por incentivo do meu pai, que era professor e poeta).
Nessa poesia (“A Borboleta Negra”), eu já clamava contra a discriminação, mesmo em tão tenra idade, pois isso era algo que me incomodava. Meu caderninho de poesias se perdeu; contudo, eu me lembro perfeitamente da essência e do tema desse singelo, profundo e belo poema e, assim, resolvi resgatá-lo, e também reescrevê-lo na forma de “história infantil”, já que o tema é forte, profundo e atual. Minha filha Potira Manhães, que foi a ilustradora do meu livro “A Viagem da Gotinha”, já está fazendo os desenhos para, depois, serem aquarelados e, então, o livro vir a ser publicado.
Também sou pós-graduada em Arteterapia, que é meu outro sonho, aliado à arte literária: comprei recentemente uma sala, onde realizarei oficinas após minha aposentadoria (que se dará daqui a 2 meses), utilizando recursos criativos para o equilíbrio psíquico-emocional do indivíduo e, dentre os diversos recursos, estará incluída a arte literária.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Como sou Arteterapeuta e Practionner em Programação Neurolinguística, prefiro ver tudo pelo prisma do otimismo (risos).
Não que eu seja uma pessoa negacionista ou utópica. Mas penso que a semente da Felicidade é podermos nos realizar com “os frutos que estão sendo colhidos” e não com aqueles que “estão por colher”; tampouco, devemos ficar frustrados sobre como “eles deveriam ser”.
Por exemplo, prefiro sentir-me realizada por estar com meu primeiro livro escrito e publicado; pelos novos livros já escritos e que irei publicá-los; por estar em parceria com a Editora Scortecci; por cada criança – ou adulto – que colhe as mensagens do meu livro para a vida e fica feliz ao lê-lo, dando-me excelente feedback; e também prefiro sentir-me realizada pelos quase 300 livros vendidos num espaço de apenas 2 meses (entre outubro e dezembro).
Portanto, penso que uma das receitas para a Felicidade é pensarmos em “qual será o próximo passo que darei para a minha próxima realização” e lutarmos por ela, felizes; e não apenas ficarmos pensando – frustrados – naquilo em que não temos.
O escritor que escreve “com alma” sente sua missão de vida se realizando ao ver cada semente sua sendo espalhada, cultivada... de grão em grão, semente por semente... e é isso o que pretendo fazer, principalmente agora que estou nas portas da aposentadoria, o que me concederá um tempo maior disponível para plantar e semear minhas sementes.
Mesmo que eu já tenha completado 61 anos de idade – não importa – pois, conforme diz uma frase belíssima que li, de um autor desconhecido:
A Juventude do Homem é medida pela quantidade de sonhos que ele tem”..

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Participando de coletâneas de poesias, pois, conforme eu disse, também sou poetisa.
Contudo, enfatizo que, para publicar a 2ª edição de A VIAGEM DA GOTINHA, fiz uma grande pesquisa, buscando: idoneidade da editora; parceria dessas para com os autores e bom relacionamento; bons trabalhos publicados, boas referências; carinho para tratar os autores; e, claro, preço razoável. Tudo isso a Scortecci me ofereceu! Afirmo, portanto, que é uma grande parceira!

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Com certeza desejo que, cada vez mais, um número maior de leitores venha a conhecer meu livro, tanto crianças, quanto adultos.
O que ele tem de especial? eu sempre prezo muito o conteúdo daquilo que escrevo; busco mensagens para a vida, principalmente em se tratando de um livro para o público infantil e infanto-juvenil, porém, sempre valorizando a escrita de forma leve, lúdica e metafórica, para encantar e atingir o inconsciente coletivo, por meio do imaginário.
A Viagem da Gotinha” nos fala, por meio da fantasia e do uso da simbologia, sobre a valorização do Ser Humano da forma como ele é, independentemente da forma como vem ao mundo; da autoestima; da busca pela alegria nas pequeninas coisas; valorização à vida; sobre nossa importância e missão de vida; alegria de viver; sobre a força da união e do trabalho em equipe; fala sobre todo o ciclo da água na natureza, aborda o amor à natureza e a consciência social e ambiental.
É a história de Cecília, uma simples Gotinha D’Água, que nasceu com o orvalho da manhã e descobre sua razão de viver, ao fazer sua viagem de “gota d’água” ao redor do mundo; e o principal: descobre que podemos ser muito importantes na natureza e no Universo, mesmo sendo pequeninos e achando que somos insignificantes.
Além disso, é um livro ricamente ilustrado, manualmente, em cores vibrantes com aquarela e pastel oleoso, fazendo com que até mesmo os Pequeninos consigam assimilar toda a historinha por meio das ilustrações.
O seu conteúdo foi selecionado e premiado pela Secretaria de Cultura de Vitória/ES - Lei Rubem Braga, em 2005.
Pelo fato de que as mensagens são conduzidas através de lúdicas metáforas, ele consegue penetrar tanto no universo infantil, como também no adulto; é um livro reflexivo, que contribui para o crescimento pessoal! No caso das crianças, além de proporcionar-lhes alegria ao lê-lo, contribui para a formação de vários aspectos positivos de sua personalidade!

Obrigado pela sua participação.

Um comentário:

  1. Estou muito feliz por estar participando desta rica entrevista. Gratidão à Scortecci e a todos os meus queridos leitores! Consuelo Pagani

    ResponderExcluir